O que significa para o seu laboratório ortodôntico adotar a digitalização

Entrevistas com os proprietários de laboratórios ortodônticos, Christopher Gajewski e Stephano Negrini, assim como os vice presidentes, Josh Dobson e Sam Stevenson

Adotar a digitalização para os proprietários de laboratórios, a curto prazo, significa sobrevivência: tentando acompanhar as enormes mudanças que ocorrem na indústria. É uma mudança de paradigma diferente de tudo o que a indústria já passou. Significa um investimento em tempo e dinheiro.

Em uma pesquisa de marketing da 3Shape em 2016, 50% dos profissionais entrevistados estavam pensando em comprar um scanner intraoral nos próximos três anos.

"Acho que o número é conservador,", disse Christopher Gajewski, co-proprietário de Bryn Mawr Orthodontic Lab nos EUA e autor do blog "From the Lab Guy." "Eu prevejo que vai ser algo perto de 80% à 90% em dois anos. Todos os meus clientes em ortodontia já fizeram a escolha ou estão considerando agora pela mudança. Estou atualmente vendo proprietários de laboratórios perdendo negócios porque eles não podem oferecer serviços digitais."

Sam Stevenson, vice-presidente do Reserve Orthodontic Lab in Medina, Ohio, discorda com a projeção de Gajewski, mas acha que é uma coisa regional. "Não tenho certeza se será de 80% à 90%, me parece alto. A economia regional provavelmente irá determinar uma média diferente em todos os lugares." Mas ele continua, "adotar a digitalização é uma obrigação, mesmo que não leve ao crescimento para o seu laboratório, tem que ser um serviço que você ofereça." 

Se for 50% ou 90%, o simples fato é de que os ortodontistas e dentistas estão seguindo nessa direção e os laboratórios devem fazer o mesmo para se manterem relevantes.

Adotar a digitalização: No curto espaço, em uma visão micro

Em uma postagem do blog feita por Gajewski, ele escreve: "A curto prazo, em uma visão micro, a Ortodontia digital leva mais tempo e custa dinheiro."

Aí reside o fator principal: No curto espaço, em uma visão micro. Adotando a digitalização significa que haverá novos custos para os laboratórios ortodônticos. Gajewski aponta para o scanner, computadores, software, impressora 3D e até mesmo a necessidade de um departamento inteiro novo.

Mas depois de falar com Stefano Negrini e Gajewski, o quadro maior entra em foco. Os custos de se tornar digital não são apenas justificados, mas uma necessidade, um meio de crescer. Para muitos, será um meio para manter o seu negócio.

Adotar a digitalização: Mais negócios, maior crescimento

"Com as mudanças que ocorrem na indústria," disse Gajewski, "Eu perdi de 20% à 25% do meu rendimento anual há três anos atrás. Eu deveria ter adotado a digitalização naquele tempo. A adoção da digitalização não só salvou meu negócio e substituiu a perda de receitas, mas estou olhando para o meu melhor ano, de todos os tempos."

Stefano Negrini, SDT e proprietário do Team Ortodonzia Estense, Itália, tem visto um crescimento maciço. "Em 2009, nós éramos apenas três pessoas. Desde que adotamos a digitalização, temos muito mais trabalho, que eu tive que contratar mais cinco pessoas. A digitalização é responsável por 80% desse crescimento e agora tenho clientes de todo o mundo."

Desde seu início, "tornar-se digital" para um laboratório significa ser capaz de aceitar o escaneamentos intraorais que dentistas estão enviando cada vez mais e a imprimir modelos para fazer os aparelhos tradicionais que eles solicitam.

Negrini e Gajewski enfatizam o que a precisão digital traz para o seu trabalho. Aparelhos criados digitalmente se adaptam melhor.

"Quando você imprime ou fresa um modelo a partir de uma moldagem digital, é muito preciso," disse Negrini. "Não há nenhuma chance de ruptura ou distorção. E você pode continuar a usar o modelo fresado, impresso ou virtual, ao contrário das moldagens vazadas que lascam e quebram ao longo do tempo. Porque a moldagem inicial e o modelo resultante com os quais você começou, são mais precisos, seus aparelhos se adaptam melhor.

Desde que adotei a digitalização, os clientes não querem continuar a trabalhar da maneira antiga. Eles preferem o digital. E para mim, tornar-se digital significou que eu nunca irei voltar à velha maneira da Ortodontia. Na verdade, dentro de um ano, eu planejo trabalhar exclusivamente digitalmente, de agora em diante."

 Um aparelho de adaptação mais precisa significa menos tempo para o ortodontista. Menos tempo para os ortodontistas significa uma maior margem de lucro. Isso se traduz também para os laboratórios.

Adotar a digitalização: A longo prazo, em uma visão macro

A curto prazo, em uma visão micro, no que os profissionais fazem a transição para um fluxo de trabalho digital, tornar-se digital para um laboratório significa manter-se atualizado e permanecer no negócio.

A longo prazo, em uma visão macro, significará lucros aumentados para laboratórios a partir do momento que superam o investimento inicial e curva de aprendizagem.

Josh Dobson, VP e CFO do Dobson Orthodontic Laboratory na Geórgia disse: "Adotar a digitalização é mais do que apenas impressão 3D: engloba as configurações digitais, planejamento de tratamento e marketing colaborativo com os ortodontistas."

Além de ser capaz de atrair de uma base de mercado mundial, como Negrini tem, o futuro da digitalização também significa uma variedade estendida de serviços e produtos para oferecer.

Em sua palestra, "O novo laboratório ortodôntico", dada na Dental Lab Association of Texas (DLAT), Gajewski falou sobre a indústria em mudança.

"Os proprietários de laboratórios tiveram uma relativa facilidade nos últimos 30/40 anos", disse ele. "Poderíamos ser proprietários de laboratórios, sem realmente sermos os donos de negócios. Poderíamos simplesmente ser técnicos. As prescrições com modelos iriam chegar e nossos contadores enviariam as faturas no final do mês. Até um ano atrás, eu nem sabia o que significava ROI (retorno sobre o investimento). Não é mais assim."

Gajewski pensa que a comparação a mais próxima na indústria é quando as cintas prefabricadas chegaram ao mercado, 30/40 anos atrás. Em alguns laboratórios, mais de metade de suas receitas vinha da criação de cintas e colocação de braquetes para cada dente unitário. Com as cintas prefabricadas e os braquetes fixos, os laboratórios ficaram pra trás ou se adaptaram ao novo modelo de negócio.

30 anos atrás, o modelo de negócios estava se tornando um laboratório Hawley e Hyrax. Agora, o novo modelo de negócio tem como base a digitalização.

Dobson disse: "Os laboratórios que levam a sério a digitalização (e levam isso aos seus clientes) devem observar que cerca de 50 à 60% dos casos atualmente é digital. O nosso laboratório tem mais de 80% de casos digitais, mas começamos assim desde o início. Como alguns dos ortodontistas mais antigos e estabelecidos começam a se aposentar, esse número vai subir com os novos graduados experientes em tecnologia entrando no mercado."

Moldagens digitais são mais que moldagens

Muitos profissionais ainda estão concentrados apenas na visão micro da Ortodontia digital: marketing, registros digitais e retentores perfeitamente adaptados. Na visão macro, há configurações digitais, planejamento e simulação de tratamentos, sistemas de alinhadores, colagem indireta e muito mais, incluindo formas para os profissionais economizarem tempo através de menos consultas.

"Todo o meu marketing", disse Gajewski, possui duas partes: 1) Eu estou aqui e eu sou 100% digitalizado e 2) isto é o que você pode fazer com a digitalização." No novo modelo de negócios – como Dobson salientou – "temos que colaborar mais com ortodontistas e dentistas, trabalhar com eles para desenvolver todo o potencial de um fluxo de trabalho digital."

Um fluxo de trabalho digital é mais eficiente e econômico para os profissionais, que eles estão notando rapidamente, como forte crescimento de venda de scanners intraorais aponta.

"Enquanto que tornar-se digital pode ser intimidante no início, uma vez que você começa a entender como o software funciona, as coisas acontecem bem rápidamente," disse Negrini. "O fluxo de trabalho digital é uma maneira mais eficiente de se trabalhar. Para os laboratórios, eu diria que é imperativo que eles adotem a digitalização. Meu sucesso é a prova de que os clientes querem trabalhar digitalmente".

Negrini acrescenta, "Pode ser difícil para laboratórios entenderem, mas para proteger seu futuro, você precisa investir dinheiro na digitalização."

Agradecimento especial ao Christopher Gajewski, proprietário do Bryn Mawr Orthodontic Laboratories, pelo seu tempo e pesquisa na criação desta matéria.

Para a experiência em como adotar a digitalização, entre em contato com Christopher Gajewski em http://www.brynmawrortholab.com/contact/

E com Stefano Negrini em http://www.ortodonziaestense.com/EN/The-Team-4bc7b100

Para as notícias