O meu 3Shape TRIOS é muito mais do que um scanner intraoral

O Dr. Jonathan L. Ferencz, assim como a 3Shape, acredita que o seu TRIOS é mais do que apenas uma solução para moldagem digital. Para que isso aconteça, ele, juntamente com outros colegas de profissão, trabalha junto com a 3Shape para criar novos e fascinantes aplicativos para o scanner intraoral. Recursos inovadores como o Simulador de Tratamento do 3Shape TRIOS, o Movimento Específico do Paciente do 3Shape TRIOS e o Monitoramento do Paciente do 3Shape TRIOS estão mudando a Odontologia e agregando mais valor às clínicas.      

Nesta entrevista o Dr. Jonathan L. Ferencz explica por que os dentistas deveriam querer um 3Shape TRIOS em todas as operações dentárias e um escaneamento de todos os pacientes.

Quando você diz que seu 3Shape TRIOS não é apenas um scanner intraoral, o que você quer dizer?

No início, pensávamos que a Odontologia digital seria apenas algo de CAD/CAM. E as aplicações do CAD/CAM normalmente envolviam algum tipo de reconstrução da dentição. Isto poderia ser dentes com má formação, inestético, ou dentes ausentes que precisavam ser substituídos por uma restauração fixa ou removível.

Nos últimos 10 anos, isto era como os dentistas e a indústria percebiam o CAD/CAM. Mas o que 3Shape e eu viemos a perceber é que há muito mais potencial para a tecnologia de escaneamento como uma ferramenta de comunicação, uma ferramenta de demonstração... aplicações que não têm nada a ver com fabricação.

Eu estava em meio de um curso de formação contínua na University of Alberta em Edmonton e o diretor do departamento e eu conversamos sobre isso. Ele me disse, "rapaz como eu queria ter um escaneamento do meu genro que é jogador de hóquei." Ele sofreu um ferimento horrível que necessitava de uma profunda cirurgia oral. Ele teve a maxila quebrada e tiveram que reposicioná-la e prendê-la bem firme. Ele continuou, "se eu tivesse um registro oclusal dele, teria sido de um valor incrível, visto que o cirurgião tentava fixar em oclusão com trechos móveis." Aquilo me tocou.

O escaneamento torna-se parte do histórico do paciente?

Eu não acho que podemos sequer imaginar o potencial de ter os dados de escaneamento como uma referência para cada paciente.

A qualquer momento que eu possa dizer a um paciente que ele tem algum tipo de condição que eu precise monitorar, ou que ele não tenha nada e eu só queira criar uma referência, apenas no caso de algo acontecer posteriormente, teremos um escaneamento em seu arquivo. Se danificar um dente, podemos compará-lo à sua referência.  

Por exemplo, seu paciente sofreu um acidente de bicicleta e liga pra você em um domingo. "Caí da bicicleta e quebrei os dois dentes da frente."

Quer tentar recriar a anatomia dos dois dentes da frente de um paciente? Em vez disso, nós apenas abrimos um escaneamento que gravamos cinco anos antes e temos a forma exata e a cor de seus dentes antes do acidente.

Antigamente, pediríamos uma foto, algo como a sua foto de formatura do ensino médio. Não valeria nada. Além disso, com um escaneamento intraoral não há radiação, não há exposição, é apenas um vídeo de alta velocidade. Não há nenhuma desvantagem e não há custos.

Documentação e planejamento

Existem incríveis oportunidades. Acredito fortemente nisso que eu acho que a tecnologia de escaneamento deve ser usada para documentação e planejamento. Por exemplo, ao se comunicar com o especialista - "dê uma olhada neste paciente que está na minha cadeira, o que você acha que devo fazer?" - Acho que poderiamos usá-lo para comunicar uma condição existente do paciente em tempo real. Algo tão simples como cáries, ou uma rachadura ou uma coroa e tudo até um sofisticado tratamento estético.

Pense nisso, é meio que mágico. Posso ter um escaneamento na tela, girá-lo de todas as formas, mostrá-lo a partir da oclusal ou lingual, da parte de trás, posso escolher o que quiser. Você pode mostrar um paciente por que a sensação que tem com um determinado dente se apresenta daquela maneira. Tem uma fratura ou não está em oclusão, ou está em hiperoclusão. Você nunca poderia demonstrar essas coisas antes.

Basicamente, vejo profissionais usando o TRIOS não em qualquer paciente em específico, mas em todos os pacientes. Vejo o escaneamento de cada paciente tornar-se definitivamente parte da nossa rotina.

Isso significa a presença de vários scanners intraorais em sua clínica?

O que eu notei é que em nossa era digital, com meu tipo de pacientes que varia daqueles da geração Y até octogenários, todos podem entender o que tento mostrar-lhes com um escaneamento intraoral. Todos! E quando eles veem seus escaneamentos, quase sempre dizem a mesma coisa, "isso é a tecnologia mais incrível que eu já vi."

Então, pacientes que diriam, "Eu teria aceitado o tratamento porque confio em você," agora, por causa do escaneamento e pela demonstração tão convincente, aceita o tratamento proposto porque simplesmente, não deixa dúvidas.

O negócio com os procedimentos é o seguinte, eu uso de vez em quando, uma unidade cirúrgica elétrica para a retração. Eu até mesmo não a uso todos os dias. Mas eu tenho uma em cada consultório e está sempre pronta. Então, se eu quisesse, teria apenas que ligar e pronto. Agora se eu tivesse que ir para outra sala, ou mover o paciente para a mesma, ou perturbar alguém naquela sala que tivesse a unidade e trazê-la para a minha sala a fim de configurá-la, eu não usaria. Então, apesar de eu usar a unidade de retração talvez cinco minutos por dia, há ainda quatro delas, uma em cada um dos nossos consultórios na nossa clínica. O mesmo acontece para um scanner intraoral.

Quando considero até mesmo um paciente para higiene, a melhor maneira de mostrar-lhes alguma coisa, é com um escaneamento. Mas se o scanner estiver em uso em outro consultório, talvez eu não o farei. Por isso é que você precisa mais de um.

Eu descobri que, fazendo um escaneamento de cada paciente em cada consulta e mostrando-lhes o porquê daquilo, bem como que o resultado final proposto seria, isso aumenta significativamente a aceitação do paciente. Se você conseguir que um paciente concorde em um caso complexo porque você mostrou a ele um escaneamento, você praticamente pode pagar por um scanner adicional.

Em minha clínica, ter um scanner em cada consultório e escanear cada paciente está se tornando a nova regra.

Dr. JL Ferencz

Para as notícias
divider